BEM-VINDO



OBRIGADO POR SUA VISITA!!!
SINTA-SE A VONTADE, POIS VOCÊ
É O NOSSO CONVIDADO !!!
TECNOLOGIA, INFORMAÇÃO, TUTORIAIS E ENTRETENIMENTO

sexta-feira, 19 de fevereiro de 2010

A SELEÇÃO DE TELÊ SANTANA NA COPA DE 82

   Com certeza essa seleção deveria ter ganhado a Copa da Espanha em 82.  Com um futebol impecável infelizmente paramos na desacreditada Itália de Paolo Rossi em dia inspirado que marcou três vezes sobre nossa seleção.  Podemos dizer que essa seleção  tinha a cara do povo brasileiro.




A Copa da Espanha foi a primeira Copa do Mundo com 24 seleções. Até 1978 o número máximo de seleções era 16.

Na Copa da Espanha, a plasticidade dos brasileiros e franceses foi superada pela força dos italianos e alemães. A seleção de 82 de Zico, Sócrates, Cerezo, Falcão e Júnior mesmo perdendo nas quartas-de-final, é considerada a segunda melhor equipe brasileira de todas as Copas.

Goleadas e partidas convincentes credenciaram o quadrado mágico de Telê ao inevitável título. Mas o que seria impossível aconteceu. As seleções foram divididas em seis chaves de quatro equipes cada. Classificavam-se para a Segunda Fase os vencedores e os segundo lugares de cada grupo. As 12 equipes restantes foram distribuídas em quatro grupos de três seleções.

Classificaram-se para as semifinais os vencedores dos grupos de três equipes. O Brasil, depois de ganhar dos argentinos, só precisava só de um empate contra a Itália, que chegou a segunda fase sem ganhar um jogo. Mas a estrela, até então apagada, de Paolo Rossi brilhou no amargo 3 a 2, conhecido como a tragédia do Sarriá.

Na decisão, a desacreditada Itália superou a Alemanha e chegou a um tri-campeonato com um time experiente, uma ótima defesa e Paolo Rossi. O "Bambino D'Oro" só foi o artilheiro da Copa porque o titular se machucou e sua suspensão devido ao escândalo da loteria esportiva italiana havia terminado dois meses antes do início do mundial.

Os europeus também pecam na organização. Em 1978, os franceses jogaram de verde porque esqueceram o uniforme. Quatro anos depois, mesmo sendo escolhidos 18 anos antes, os espanhóis fizeram uma das Copas mais desorganizadas de todos os tempos, incluindo a invasão de campo do xeque do Kuwait.

1982 - Copa do Mundo da Espanha
Seleções participantes: 24
Alemanha Ocidental | Argélia | Áustria | Argentina | Bélgica | Brasil | Camarões | Chile | El Salvador | Escócia | Espanha | França | Honduras | Hungria | Inglaterra | Irlanda do Norte | Itália | Iugoslávia | Kuwait | Nova Zelândia | Peru | Polônia | Tchecoslováquia | União Soviética

Seleções estreantes: 5 (21%) - Argélia, Camarões, Honduras, Kuwait e Nova Zelândia

Eliminatórias: 109 seleções
Classificados automaticamente: Argentina (último campeão) e Espanha (país-sede)
Sede: Espanha
Campeão: Itália - 3º título
Jogos: 52
Gols: 146
Média de gols: 2,81
Público: 1.856.277
Média de público: 35.698
Artilheiros: Paolo Rossi (Itália) - 6 gols

Pôster, Logo e Mascotes da Copa do Mundo de 1982 na Espanha
Pôster
Pôster da Copa do Mundo de 1982 na Espanha - 12ª Copa do Mundo 
FIFA
Pôster da Copa do Mundo de 1982 na Espanha - 12ª Copa do Mundo FIFA

Logomarca
Logo da Copa do Mundo de 1982 na Espanha - 12ª Copa do Mundo FIFA
Logo da Copa do Mundo de 1982 na Espanha - 12ª Copa do Mundo FIFA

Mascote
Naranjito, o Mascote da Copa do Mundo de 1982 na 
Espanha - 12ª Copa do Mundo FIFA
Naranjito, o Mascote da Copa do Mundo de 1982 na Espanha - 12ª Copa do Mundo FIFA

Copa do Mundo de 1982 na Espanha - Primeira Fase
-

Copa do Mundo de 1982 na Espanha - Semi-finais
-

Copa do Mundo de 1982 na Espanha - Final
Itália 3 x 1 Alemanha Ocidental

Copa do Mundo de 1982 na Espanha - Ficha da Final
-

O Brasil na Copa de 1982 na Espanha: Eliminado na Segunda Fase - 5º lugar
5 jogos | 4 vitórias e 1 derrota | 15 gol a favor e 6 gols sofridos | saldo de gols +11.

Ficha dos jogos do Brasil na Copa do Mundo de 1982 na Espanha
Primeira Fase:
14/junho/1982
Brasil 2 x 1 URSS
Local: Estádio Sanchez Pizjuan (Sevilha)
Árbitro: Lamo Castillo (Espanha)
Gols: Bal 33 do 1º tempo; Sócrates 28, Éder 43 do 2º.
BRASIL: Valdir Peres; Leandro, Oscar, Luisinho, Júnior; Falcão, Sócrates, Zico; Dirceu (Paulo Isidoro), Serginho, Éder.
URSS: Dasaev; Sulakvelidze, Chivadze, Baltacha, Demianenko; Bessanov, Bal, Daraselia (Andreiev), Gavrilov (Susloparov); Shengelia, Blokhin.



18/junho/1982
Brasil 4 x 1 Escócia
Local: Estádio Benito Villamarin (Sevilha)
Árbitro: Luis Silles Calderón (Costa Rica)
Gols: Narey 18, Zico 33 do 1º tempo; Oscar 3, Éder 19, Falcão 42 do 2º.
BRASIL: Valdir Peres; Leandro, Oscar, Luisinho, Júnior; Toninho Cerezo, Falcão, Sócrates, Zico; Serginho (Paulo Isidoro), Éder.
ESCÓCIA: Rough; Narey, Miller, Hansen, Grey; Hartford (McLeis), Souness, Robertson; Strachan (Dalglish), Wark, Archibald.



23/junho/1982
Brasil 4 x 0 Nova Zelândia
Local: Estádio Benito Villamarin (Sevilha)
Árbitro: Damir Matovinovic (Iugoslávia)
Gols: Zico 28 e 31 do 1º tempo; Falcão 10, Serginho 25 do 2º.
BRASIL: Valdir Peres; Leandro, Oscar (Edinho), Luisinho, Júnior; Toninho Cerezo, Falcão, Sócrates, Zico; Serginho (Paulo Isidoro), Éder.
NOVA ZELÂNDIA: Van Hutton; Dodds, McLure, Herbert, Elrick; Mckay, Boath, Creswell (B. Turner), Summer; Rufer (Cole), Woodlin.



Segunda Fase:
2/julho/1982
Brasil 3 x 1 Argentina
Local: Estádio Sarriá (Barcelona)
Árbitro: Mario Rubio Vasquez (México)
Gols: Zico 12 do 1º tempo; Serginho 21, Júnior 29, Ramón Diaz 44 do 2º.
BRASIL: Valdir Peres; Leandro (Edevaldo), Oscar, Luisinho, Júnior; Toninho Cerezo, Falcão, Sócrates, Zico (Batista); Serginho, Éder.
ARGENTINA: Fillol; Olguin, Galván, Passarella, Tarantini; Barbas, Ardiles, Maradona; Bertoni (Santamaria), Kempes (Ramón Diaz), Calderón.
Expulsão: Maradona



5/julho/1982
Brasil 2 x 3 Itália
Local: Estádio Sarriá (Barcelona)
Árbitro: Abraham Klein (Israel)
Gols: Rossi 5, Sócrates 12, Rossi 25 do 1º tempo; Falcão 23, Rossi 30 do 2º.
BRASIL: Valdir Peres; Leandro, Oscar, Luisinho, Júnior; Toninho Cerezo, Falcão, Sócrates, Zico; Serginho (Paulo Isidoro), Éder.
ITÁLIA: Zoff; Gentile, Scirea, Colovatti (Bergomi), Cabrini; Tardelli (Marini), Oriali, Antognoni, Graziani; Conti, Rossi.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

TURMA DA MONICA

SNOOP

CALVIN